AÇÃO DE REVISÃO DE CONTRATO DE FINANCIAMENTO DE VEÍCULO - CURSO ON LINE

AÇÃO DE REVISÃO DE CONTRATO DE FINANCIAMENTO DE VEÍCULO

 

Interessados em adquirir o CURSO ON LINE sobre a AÇÃO REVISIONAL DE CONTRATO DE FINANCIAMENTO DE VEÍCULO devem entrar em contato com o CURSO PROF. ALBERTO ARAÚJO no e-mail cursoalbertoaraujo@gmail.com e adquirir o curso pelo preço de R$ 190,00

 

Os modelos são os seguintes:
1. AÇÃO  DE REVISÃO DE CONTRATO BANCÁRIO - TAXA MÉDIA DE MERCADO - CAPITALIZAÇÃO - BANCO ITAÚ
2. Ação de Revisão de CONTRATO-VEÍCULO - DEPÓSITO INTEGRAL DAS PARCELAS
3. Ação de Revisão de CONTRATO-VEÍCULO COM PEDIDO DE DEPÓSITO PARCIAL DAS PARCELAS
4. AÇÃO REVISIONAL DE FINANCIAMENTO DE VEÍCULO - SEM PEDIDO DE DEPÓSITO DE PARCELAS
5. AGRAVO DE INSTRUMENTO - DECISÃO QUE INDEFERE DEPÓSITO INTEGRAL E EXCLUSÃO SERASA -
6. AGRAVO DE INSTRUMENTO - DECISÃO QUE INDEFERE EXCLUSÃO SERASA - AFASTAMENTO MORA
7. AGRAVO DE INSTRUMENTO - INDEFERIMENTO DEPÓSITO PARCIAL -SANTANDER
8. APELAÇÃO - CONTRA SENTENÇA DE IMPROCEDÊNCIA DE JUROS
9. APOSTILA - CURSO - AÇÃO REVISIONAL DE CONTRATOS BANCÁRIOS E DE FINANCIAMENTO DE VEÍCULOS
10. CONTESTAÇÃO - AÇÃO BUSCA E APREENSÃO
11. CONTESTAÇÃO - AÇÃO REINTEGRAÇÃO POSSE - LEASING
12. RÉPLICA - CONTESTAÇÃO - AÇÃO REVISIONAL.

E MAIS 8 MODELOS DE PETIÇÕES, NOTIFICAÇÃO, FÓRMULA PARA CÁLCULO DA PRESTAÇÃO.

Veja abaixo as principais dúvidas sobre o tema.

 

1) Por quê ajuizar a ação revisional? Ainda vale a pena?

SIm. Vale a pena. Por várias razões. A primeira delas é que todos os contratos de financiamento (Alienação Fiduciária - CDC ou ARRENDAMENTO MERCANTIL - LEASING), possuem cláusulas abusivas, em que os Tribunais (TJ e STJ) já consideraram abusivas em inúmeras decisões, principalmente em relação a cobrança de TAC - Taxa de Abertura de Crédito, Despesas com terceiros, taxa de registro, boleto bancário, taxa de retorno, cumulação da cobrança de comissão de permanência com juros moratórios e multa e a capitalização mensal dos juros remuneratórios.

2) Mas a capitalização dos juros não é permitida pela MP 2.170/2001?

Sim. a MP 2.170/2001 permite a capitalização mensal dos juros remuneratórios. Contudo a matéria é controversa e ainda não houve decisão final do STF sobre a inconstitucionalidade do artigo 5º da referida Meida Provisória. Por esta razão, diversos juízes e Tribunais entendem que a MP é constitucional, mas, por outro lado, existem Tribunais que entendem que os juros não podem ser capitalizados porque a competência para legislar sobre o sistema econômico é do Poder Legislativo e não o Poder Executivo, daí a inconstitucionalidade da MP.

3) Qual a posição do STJ sobre a MP 2.170/2001?

O STJ entende que a MP é válida enquanto o STF não julgar a ADIN. Contudo, ressalva que s juros somente poderão ser capitalizados se tiver uma cláusula no contrato prevendo a capitalização, caso o contrato tenha sido assinado após a edição da medida, ou seja. 2011. Se o contrato tiver sido assinado antes de 2011, a capitalização é ilegal.

4) É possível baixar a prestação do financiamento?

A exclusão da cobrança das taxas abusivas do contrato, automaticamente diminui o saldo devedor o que faz com que as prstações também sejam diminuidas. Contudo, os Juizes e Tribunais entendem que depositar ou consignar em juízo um valor menor que a prestação contratada não AFASTA a mora.

5) Se eu depositar um valor menor que a prestação contratada meu nbome é negativado no SERASA e SPC?

Sim. O STJ já definiu que o simples ajuizamento da ação não impede o banco de negativar o nome do consumidor. A única forma de evitar a negativação é depositar o valor integral da prstação em juízo, descaracterizando a mora. Neste caso, o Juiz concede a tutela antecipada para que o banco se abstenha de negativar o nome.

6) Se não posso pagar a prestação integral e o depósito parcela da prestação não impede a negativação do nome, então qual a vantagem de ajuizar a ação?

A vantagem vai depender da situação de cada caso. Se o consumidor está com problemas financeiros e não pode depositar em juizo a prestação parcial nem integral, ele poderá devolver o veículo (entrega amigável com declaração do banco de quitação total do contrato, hipótese pouco provável) ou ajuizar a ação sem o depósito de nenhuma parcela e aguardar o banco entrar em contato para negociar a quitação do contrato. Lembrando sempre que o nome será negativado no SERASA.

Agora, se o consumidor não puder ficar sem o veículo porque utliza para a famlia e trabalho, a ação deverá ser ajuizada para que o banco inicie o processo de negociação para quitar o contrato.

7) E no caso do banco já ter ajuizado a ação de busca e apreensão (Alienação fiduciária) ou Reintegração de Posse (Arrendamento Mercantil)? Como evitar que o veículo seja levado pelo Oficial de Justiça?

Neste caso, será necessário fazer um acompanhamento semanal no site do Tribunal de Justiça pelo nome do cnsumidor se o banco já ajuizou a ação. Em caso positivo, e se a ação revisional tiver sido ajuizada antes, então o Juiz que recebeu a ação do banco deverá ser comunicado da conexão e pedir para que ele decline da competência e revogue a decisão de buscar o veículo, caso já tenha sido determinado no processo.

8) Se o veiculo for apreendido, o que acontece com o contrato?

Esta hipótese deve ser evitada ao máximo, caso não seja possível fazer a entrega amigável. Isso porque se o veículo for levado pelo Oficial, ele será leiloado e com certeza será arrematado por um valor bem abaixo do mercado. A diferença será cobrada depois pelo banco do consumidor, que continuará como nome negativado e com as cobranças via telefone.

9) Mas e se for um contrato de Arrendamento Mercantil, o VRG não será devolvido?

Sim, neste caso, o valor do VRG (Valor Residual Garantido) pago nas prestações será abatido do saldo devedor. Se houver saldo positivo, o banco deverá restituir ao consumidor. Se for negativo (quase sempre), o banco cobrará a diferença.

10) Após o veículo ser apreendido, ainda será preciso contestar a ação de reintegração de posse ou de busca e apreensão?

Sim. DEVE. Não se esqueça de que se a ação não for contestada será decretada a revelia e o consumidor será condenado a pagar as custas do processo e os honorários de sucumbência. Além do mais, ele poderá CONTESTAR a ação e apresentar uma RECONVENÇÃO, pedindo a revisão das cláusulas do contrato.

11) E se o consumidor tiver pago mais de 70% das parcelas do contrato. Ainda assim o veículo será preendido ou reintegrado?

NÃO. Recentemente o STJ decidiu que se tiver sido pago mais de 70% do financiamento, o veículo não poderá ser apreendido ou reintegrado porque teria ocorrido o ADIMPLEMENTO SUBSTANCIAL, ou seja, o contrato de financiamento já teria sido quase todo quitado e o banco teria que cobrar as parcelas vencidas de outra forma (cobrança ou execução).

12) Os bancos oferecem desconto para a quitação do contrato?

SIM. Os bancos somente negociarão os contratos dando descontos que podem chegar a 40% do saldo devedor, se tiver ação de revisão ajuizada.

13) É verdade que se a ação for ajuizada o consumidor não conseguirá mais financiar um veículo?

É verdade em parte. Certamente o mesmo banco não financiará outro contrato para o mesmo consumidor. Contudo, outros bancos e financeiras poderão aprovar o cadastro, mesmo que o financiamento seja de 100%. É certo que os bancos possuem um cadastro onde fica registrado se o consumidor ajuizou a ação ou se foi citado em ação de busca e apreensão ou reintegração de posse, mas nem sempre impossibilitará que outro banco financie outro veículo.

 

Att.

Alberto Araújo

 

 

 

Exibições: 54288

Responder esta

Respostas a este tópico

Concordo com o colega,

 

A revisional, hoje em dia, tem sido uma excelente saída para as negociações, em especial se o seu cliente está entre a 18ª e 23ª parcela, as propostas de acordo têm sido bem interessantes.

Ola!!!

DR. José Alberto, estou com problemas nas revisões no que diz respeito as tutelas, pois estão sendo indeferida se possivel mandar um modelo da ação de consignação de pagamento.

Obrigado!!

   

ACÓRDÃO DO TJDF DANDO PROVIMENTO A RECURSO DE APELAÇÃO RECONHECENDO A ILEGALIDADE DA CAPITALIZAÇÃO MENSAL DOS JUROS REMUNERATÓRIOS EM CONRATO DE FINANCIAMENTO DE VEÍCULO.

 

Data de Disponibilização: 4/2/2011
Tribunal: TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS - SECRETARIA JUDICIÁRIA – SEJU
Vara: 3ª TURMA CÍVEL
Página: 00082
Expediente: 010ª AUDIENCIA DE PUBLICACAO DE ACORDAOS

Num Processo 2009 01 1 068074-9 Reg. Acordao 476690 Relatora Desª. NIDIA CORREA LIMA Revisor Des. HUMBERTO ADJUTO ULHOA
Apelante(s) MARIA DE LOURDES TORRES REGO SANTANA
Advogado(s)  JOSE ALBERTO ARAUJO DE JESUS e outro(s) Apelado(s) BANCO BMG S/A
Advogado(s) WALMIR FRANCISCO DA SILVA
Origem DECIMA QUARTA VARA CIVEL - BRASILIA - 20090110680749 - REVISAO DE CONTRATO Ementa DE ABERTURA DE CREDITO. ABUSIVIDADE. REPETICAO DE INDEBITO EM DOBRO. PEDIDO INOVADOR. 1.Em face do reconhecimento da inconstitucionalidade do artigo 5º da Medida Provisoria nº 2.170-36, pelo egregio Conselho Especial desta Corte de Justica, persiste o entendimento de que a capitalizacao mensal de juros, salvo nas hipoteses
autorizadas por lei, constitui pratica vedada em nosso ordenamento juridico. 2.Constatada a abusividade da exigencia do pagamento de Taxa de Abertura de Credito (TAC), por apresentar a finalidade de cobrir custos de atividades de interesse exclusivo da instituicao financeira, e tratando-se de negocio juridico subordinado a normas de protecao ao consumidor, mostra-se impositivo o reconhecimento da nulidade das clausulas contratuais que impoem tal cobranca. 3.E vedada a inovacao em sede recursal, restando inviabilizada a apreciacao de pedidos nao suscitados na inicial (art. 517 do CPC), sob pena de violacao ao principio do duplo grau de jurisdicao e de supressao de instancia. 4.Verificado que, na inicial da demanda, a parte
autora nao deduziu pedido de restituicao em dobro dos valores cobrados indevidamente, nao e cabivel a formulacao pretensao neste sentido em sede de recurso de apelacao. 5.Recurso de apelacao conhecido e parcialmente provido Decisao CONHECER. DAR PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO. UNANIME.


Publicação: 3.     


Como proceder neste caso: meu cliente esta com duas parcelas em atraso e já recebeu notificaçao de mora certamente para ingresso da busca e apreensão. Ele pretende pagar porém estão pedindo um acrescimo de 30% em um unico mês. Não tenho o contrato em mãos, que será solicitado porém acredito que até lá já haverá a propositura da ação. Se eu fizer a consignatória extrajudicial também já havera distribuido a ação de busca. Nesse caso seria melhor ajuizar de plano uma consignatória judicial pedindo a revisão do contrato e se deferida os depositos tem o condão de elidir a mora para fins do requisito da busca e apreensão? Agradeço se alguem puder ajudar.

Sobre TAXA DE RETORNO:

Algumas vezes a Taxa de Retorno ou Comissão de Pagamento a Terceiros nao vem expressa no contrato de financiamento, mas está embutida nas prestações. Como provar para o Juiz a existência desta cobrança? Sei que no Custo Efetivo Total (CET) está cobrança é especificada, mas os bancos não fornecem nenhuma cópia da CET por mais que a gente peça, faça reclamações....eles enviam somente o contrato e o demonstrativo de pagamento, quando enviam.

O que fazer neste caso??

Agradeço desde já...

caro Moacir,

Você deve ajuizar a ação consignatória e depositar em Juizo as parcelas e atraso e continuar depositando as vincendas no valor do carnê para não ficar em mora e assim, o seu cliente não ter o nome negativado. Na consignatória poderá discutir as cláusulas do contrato.

Caso o banco ajuize a ação, vc deverá informar ao Juizo sobre a prevenção.

Att

Paola,

Analise o contrato e confirme se realmente não está registrado a cobrança da Taxa de Retorno. Caso contrário fica difícil provar que foi cobrada.

Att

Prezado Dr. José Alberto,

 

Comecei a atuar na área de direito bancário faz 1 ano e pouco, nas primeiras 2 ações revisional c/c consignação incidente que entrei, consegui a liminar inclusive para depositar o valor incontroverso que achavamos correto, com laudo contábil particular e tudo, depois consegui a liminar em outra ação para evitar a mora e retirar o nome do serasa mediante consignação das 4 parcelas em atraso pelo valor do carnê, sou de Ribeirão Preto, e aqui agora a maioria dos juizes também não estão aceitando a consignação incidente cumulada com ação revisional. Tenho acompanhado esse fórum e acredito também que ação de consignção autônoma pode ter mais êxito do que cumular com a revisional, e depois propor a ação revisional. Tenho uma ação para entrar e gostaria que me mandasse um modelo de Ação de Consignação em pagamento, e queria saber sua opinião se vale a pena entrar com ação de consignação com laudo contábil particular, para tentar uma liminar para depositar o valor incontroverso.

 

agradeço a atenção.

 

abraço.

 

Olá Dr., por favor, me esclareça algo: nas ações de revisão de contrato, vcs apresentam o laudo contábil, ou vcs mesmos realizam os cálculos? Caso exista alguma planilha que favoreça o cálculo, favor me enviarem um modelo, pois estou tendo dificuldades nos cálculos. Caso tenha algum contador que realize estes cálculos com preço acessível, favor me enviar o contato do mesmo, grata.

 

 Ao Doutor José Alberto

Um dúvida: é possivel ajuizar ação revisional c/c consignatória em contrato de arrendamento mercantil (leasing)? Ao que parece os bancos aplicam a capitalização composta no débito e incluem uma taxa de juros além ou no lugar do VRG, é isso mesmo?!

 

Quais seriam os pedidos na inicial?

 

Obrigado!

Prezado Dr. José Alberto,

Acabei de conhecer este site e também fiquei feliz em ver este tipo de iniciativa. Parabens.

Sou da Bahia e aqui também não está fácil conseguir a liminar em ações revisionais. Poderia me auxiliar? Minha cliente financiou um veículo em 2008, precisa com urgência transferir o contrato para um terceiro interessado e o banco finasa se recusa a aceitar transferência, apesar do excelente perfil do comprador. Este já tentou até a quitação antecipada do financiamento, mas o valor cobrado pelo banco é absurdo (acredito que em função da não  redução proporcional dos juros e da cobrança de taxas como TLA, TAC, boleto bancário etc). Considerando que o interesse maior da cliente é retirar o mais rapidamente possível o seu nome do contrato de financiamento, qual seria a ação adequada? Ação Consignatória com pedido de depósito dos valores contratados, para forçar um acordo rápido? Seu auxílio seria muito importante pra mim, poderia me enviar um modelo desta ação consignatória? Já que vou pedir para depositar o valor contratado, posso apresentar o laudo contábil num segundo momento? Desde já sou grato pela boa vontade.  email:djanlessa@hotmail.com

Prezado Dr. José Alberto,

Acabei de conhecer este site e também fiquei feliz em ver este tipo de iniciativa. Parabens.

Sou da Bahia e aqui também não está fácil conseguir a liminar em ações revisionais. Poderia me auxiliar? Minha cliente financiou um veículo em 2008, precisa com urgência transferir o contrato para um terceiro interessado e o banco finasa se recusa a aceitar transferência, apesar do excelente perfil do comprador. Este já tentou até a quitação antecipada do financiamento, mas o valor cobrado pelo banco é absurdo (acredito que em função da não redução proporcional dos juros e da cobrança de taxas como TLA, TAC, boleto bancário etc). Considerando que o interesse maior da cliente é retirar o mais rapidamente possível o seu nome do contrato de financiamento, qual seria a ação adequada? Ação Consignatória com pedido de depósito dos valores contratados, para forçar um acordo rápido? Seu auxílio seria muito importante pra mim, poderia me enviar um modelo desta ação consignatória? Já que vou pedir para depositar o valor contratado, posso apresentar o laudo contábil num segundo momento? Desde já sou grato pela boa vontade. email:djanlessa@hotmail.com

Responder à discussão

RSS

Site com o objetivo de divulgar consultoria em MENTORING para a carreira do advogado,compartilhar experiências e conhecimentos jurídicos.

Badge

Carregando...

Notas

Quatro características que fazem um advogado de sucesso

Criado por José Alberto Araújo 29 Jan 2009 at 19:46. Atualizado pela última vez por José Alberto Araújo 29 Jan, 2009.

Como e onde praticar a NETWORKING?

Criado por José Alberto Araújo 4 Jan 2009 at 20:23. Atualizado pela última vez por José Alberto Araújo 4 Jan, 2009.

Quem pode fazer parte de sua NETWORKING?

Criado por José Alberto Araújo 4 Jan 2009 at 20:20. Atualizado pela última vez por José Alberto Araújo 4 Jan, 2009.

20 dicas de NETWORKING

Criado por José Alberto Araújo 4 Jan 2009 at 20:15. Atualizado pela última vez por José Alberto Araújo 4 Jan, 2009.

Página Inicial das Notas

Criado por José Alberto Araújo 1 Jan 2009 at 18:38. Atualizado pela última vez por José Alberto Araújo 19 Abr, 2012.

© 2016   Criado por José Alberto Araújo.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço